27 de dez de 2011

Fim de ano impõe medidas aos condomínios

O descuido dos condomínios pode transformar em problema um período que deveria ser de festas. A proximidade do fim de ano e das férias escolares impõe a eles uma rotina toda especial.
Medidas simples, como montar uma decoração de natal, tem custos e devem ser esperadas. “Se não houve previsão no decorrer do ano, o condomínio terá que arrecadar”, diz Hubert Gebara, diretor do Grupo Hubert.
Ele ressalta a importância de o prédio estar preparado para o aumento de gastos com o pagamento do 13º salário aos funcionários. O reajuste da categoria, impactando na folha de pagamento a partir de novembro, também deve ser previsto.
Gebara ainda indica a realização de ações de manutenção capazes de dar conta do aumento do volume de chuvas no período: “É preciso estar com os para-raios em ordem, as calhas desentupidas e os telhados limpos”.
O cuidado com a documentação para a prestação de contas é a orientação da gerente de marketing da Lello, Angélica Arbex.
“O condomínio é responsável tributário pelo serviço contratado. Isso se consolida no fim do ano para fazer as declarações.” No primeiro trimestre, os conjuntos devem realizar, por exemplo, a entrega da Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf) e da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), que faz o controle dos registros do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A dica é especialmente útil a empreendimentos que realizam autogestão.
Angélica orienta que o condomínio antecipe o envio das cotas mensais de pagamento para evitar a inadimplência no período de férias, quando o número de moradores se reduz.
Antes de pegar a estrada, é importante que morador atualize seu cadastro na portaria – procedimento que deve ser repetido caso ele receba encomendas de grande porte. “Chega muita gente ao condomínio nessa época”, diz a gerente de atendimento da Itambé, Vânia Dal Maso, para quem a segurança é um dos principais problemas da época.
Segundo ela, condomínios no litoral devem se preocupar também com o aumento dos custos pelo maior consumo de água e luz e pela contratação extra de pessoal./Gustavo Coltri
Fonte:http://blogs.estadao.com.br/radar-imobiliario

Nenhum comentário: